PROTOCOLO INTERNO COVID-19

 

 

Logotipo Clean and Safe



Durante o período de desconfinamento e regresso à normalidade a FAIROPORTO UNIPESSOAL LDA compromete-se a minimizar os riscos de propagação da Covid-19, tomando diversas medidas de informação, higienização e distanciamento.

 

MEDIDAS GERAIS


1. Cada colaborador desta entidade tem um horário laboral específico que lhe permite trabalhar sozinho. Em caso de impossibilidade, o distanciamento entre postos de trabalho é superior a 2 metros.


2. Cada elemento tem ao seu dispor informação sobre todas as medidas recomendadas pela Direção Geral de Saúde.


3. A Fairoporto Unipessoal Lda faculta material de proteção individual e vários produtos para higienização pessoal e das superfícies, reforçando as suas rotinas de limpeza.


4. Antes de entrar nas instalações, os clientes e o pessoal externo ao serviço devem higienizar as mãos com o álcool gel e usar ou solicitar uma máscara e protetores de calçado (neste caso os kits de higienização e equipamentos de proteção individual não terão nenhum custo, serão integralmente suportados pela Fairoporto Unipessoal Lda)

COLABORADORES - HIGIENIZAÇÃO PESSOAL 


1. De acordo com o protocolo, ao entrar nas instalações, é necessária a higienização das mãos com solução álcool gel. Seguidamente, é necessária a colocação da máscara ou viseira para o período de trabalho e protetores de calçado.


2. Higienização das mãos: lavar as mãos frequentemente com água e sabão, durante pelo menos 20 segundos ou usar desinfetante para as mãos que tenha pelo menos 70% de álcool, cobrindo todas as superfícies das mãos e esfregando-as até ficarem secas.


3. Etiqueta respiratória: tossir ou espirrar para o antebraço fletido ou usar lenço de papel, que depois deve ser imediatamente deitado ao lixo; Higienizar as mãos sempre após tossir ou espirrar e depois de se assoar.


4. Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos.


5. Evitar ter o cabelo solto, barba e unhas compridas.


6. Conduta social: Evitar o contacto próximo, apertos de mão, beijos, postos de trabalho partilhados, reuniões presenciais e partilha objetos e utensílios.


7. Cumprir a auto monitorização diária: avaliação da febre (medir a temperatura corporal duas vezes por dia e registar o valor e a hora de medição), verificação de tosse ou dificuldade em respirar.


8. Quaisquer sintomas associados ao vírus devem ser imediatamente comunicados a nível superior e aos colegas de trabalho, e tomadas as devidas medidas de segurança, limpeza e desinfeção.


9. Ao sair das instalações, lavar muito bem as mãos ou higienizar as mãos com solução álcool gel.

 

 

HIGIENIZAÇÃO DAS SUPERFÍCIES

1. Cada colaborador é responsável pela limpeza do seu espaço de trabalho. Estão disponíveis diversos liquidos e sprays de limpeza, panos e toalhetes descartáveis.


2. A higienização do espaço é feita pelos colaboradores.


3. A limpeza deve ser feita várias vezes ao dia, nomeadamente das superfícies e objetos de utilização comum (mesas, interruptores de luz, maçanetas, puxadores de armários e zona de café, após utilização); e utilização própria, (teclados, monitores, secretária e objetos). Assim, sugere-se limpeza a meio da manhã, à hora de almoço, a meio da tarde e antes da saída.


4. Embora as pessoas circulem com proteções de calçado nas instalações da Fairoporto Unipessoal Lda, o chão deve ser limpo com solução antimicrobiana uma vez por dia, preferencialmente ao fim do dia de trabalho.


5. As salas devem ser arejadas diariamente, e mais especificamente na hora de almoço e/ou ao fim do dia de trabalho, ou se possivel, estarem arejadas naturalmente durante o dia inteiro.


6. O contentor que recebe o material descartável encontra-se á entrada/saída das instalações.

 

TRANSFERES PARA O AEROPORTO


É disponibilizada, a todos os clientes, a seguinte informação:


1. Como cumprir as regras de prevenção e controlo da infeção.


2. Qual o protocolo interno estabelecido quanto ao surto de coronavírus COVID-19.


3. A distribuição de informação, no âmbito da atividade, é feita em suporte digital/online.

 

O PROTOCOLO INTERNO DE LIMPEZA E HIGIENIZAÇÃO DEVE GARANTIR:

1. Aos clientes , são disponibilizados kits de proteção individual (máscara e luvas descartáveis), pelo valor indicado aquando o transfere, sem fins lucrativos e meramente de acordo com os valores praticados no mercado.


2. Estão disponíveis para uso no local, aos clientes, higienizadores de mãos à base de álcool gel.


3. A higienização ou desinfeção dos meios de transporte utilizados deve ser feita após cada transfere, e de acordo com as regras aplicáveis a este tipo de transporte (com especial cuidado nas zonas onde os clientes tocam: puxadores de portas, cintos de segurança, bancos, superficie da mala das bagagens, etc).


4. No final do dia de trabalho será feita uma higienização com recurso a um Atomizador (um aparelho que serve para fazer a pulverização molecular dos liquidos de higienização) o que produz um resultado efectivamente melhor.


5. Colaboradores e clientes devem ser responsáveis pela lavagem a temperaturas elevadas (cerca de 60ºC) do vestuário usado nos transferes e outros acessórios, de acordo com o protocolo.

 

NOS TRANSFERES DEVEM ESTAR SEMPRE ASSEGURADAS AS SEGUINTES CONDIÇÕES:


1. A manutenção da distância social de segurança entre os clientes e motorista, aquando a recepção, acondicionamento das malas, pagamento, de acordo com as recomendações da Direção Geral de Saúde.


2. A ocupação máxima dos meios de transporte utilizados nos transferes, de acordo com as recomendações da Direção Geral de Saúde (neste caso em veiculos de 9 lugares só poderão viajar no máximo 5 clientes), estando o mais afastados possiveis.


3. A distribuição de informação, no âmbito do transfere, preferencialmente em suporte digital/online.


4. O cumprimento de protocolos internos de higienização e segurança por parceiros envolvidos nos transferes.


5. Aquando o transfere, o motorista será o responsável por accionar os procedimentos em caso de suspeita de infeção (acompanhar o cliente com sintomas, prestar-lhe a assistência necessária e contactar o serviço nacional de saúde e se necessário e possivel transporta-lo o quanto antes a uma Unidade de Saúde).


6. Quando os casos de suspeita de infecção ocorrerem nas nossas instalações, o colaborador responsável ( deve acompanhar o cliente á zona de isolamento, neste caso uma sala isolada, prestar-lhe toda a assistência necessária e contactar o sistema nacional de saude).


7. A descontaminação da área de isolamento sempre que haja casos positivos de infeção e reforço da limpeza e desinfeção, principalmente nas superfícies frequentemente manuseadas e mais utilizadas pelo mesmo, conforme indicações da Direção Geral de Saúde.


8. O armazenamento dos resíduos produzidos pelos doentes suspeitos de infeção em saco de plástico que, após fechado (ex. com abraçadeira) deve ser segregado e enviado para operador licenciado para a gestão de resíduos hospitalares com risco biológico.

 Logotipo Clean and Safe Turismo de Portugal